domingo, 22 de abril de 2018

Dia da Terra 2018 - Reduzir utilização de plástico

Hoje celebra-se o Dia da Terra.
Este ano, o apelo vai no sentido de se reduzir a utilização de plástico. E aí o contributo de cada um de nós também é decisivo.

O Dia da Terra, que se celebra a 22 de Abril de cada ano desde 1970, procura chamar a atenção para a necessidade da Humanidade viver em harmonia com o Planeta, visto que dele provêm todos os recursos que sustentam as sociedades e a economia.
A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson que resolveu realizar um protesto contra a poluição da Terra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969.

Inspirado pelos protestos dos jovens norte-americanos que contestavam a guerra, Gaylord Nelson, desenvolveu esforços para conseguir colocar o tema da preservação da Terra na agenda política norte-americana.

A população aderiu em força à manifestação e mais de 20 milhões de americanos manifestaram-se a favor da preservação da terra e do ambiente.

Este ano o mote do Dia da Terra é o da necessidade de reduzir a utilização de plástico. “A este nível têm já sido dados alguns passos importantes. Contudo, o enfoque continua a ser o das soluções de fim de linha, na melhor das hipóteses a reciclagem, quando o que é necessário, do nosso ponto de vista e corroborado pela evolução de inúmeros indicadores ambientais, é repensar o modelo de produção e consumo”, defende a associação Zero que apresenta algumas acções que cada pessoa pode desenvolver para reduzir a sua pegada ecológica.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Portugal sem fogos

É sempre bom lembrar.

domingo, 20 de novembro de 2016

Reflorestar Barcelos

Numa organização dos Amigos da Montanha e a exemplo de anos anteriores, no dia 26 de Novembro vamos plantar 2 200 árvores.
Junta-te a nós, aos Amigos da Montanha, Junta de Freguesia de Aldreu, Associação Florestal do Cávado e a muitos grupos que já confirmaram a sua presença e vem "plantar a tua árvore".
Junta o teu grupo de amigos.
Contamos convosco!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

VAI SER IMPOSSÍVEL TRABALHAR POR CAUSA DO AQUECIMENTO GLOBAL

O aquecimento global já está a ter efeitos devastadores na economia mundial, afectando a produtividade de trabalhadores por todo o mundo, mas as consequências vão agravar-se ao ponto de ser impossível trabalhar em certos locais do planeta.

A previsão é de um relatório divulgado pela ONU esta terça-feira, que vaticina que a economia mundial pode perder mais de dois mil milhões de dólares (1.800 milhões de euros) até 2030 devido à perda de produtividade provocada pelo aquecimento global.
De acordo com a Fundação Reuters, tornar-se-á impossível trabalhar em algumas partes do mundo devido às altas temperaturas, de acordo com o relatório da ONU que refere que se espera uma queda do PIB em 43 países.
A ONU prevê que, em 2030, o PIB da Indonésia e da Tailândia sofra quedas de 6%, na Índia de 3,2% e na China de 0,8%, em consequência da falta de produtividade.
“As condições climáticas actuais nas zonas tropicais e sub-tropicais do mundo são já tão quentes durante as estações quentes que os efeitos na saúde no trabalho já se verificam e a capacidade de trabalho de muitas pessoas é afectada”, refere o autor do estudo e director do Fundo Internacional de Saúde e Ambiente (HEIT), Tord Kjellstrom, citado pela Reuters.
No sudeste da Ásia, estamos a falar, já no presente, da perda de até 20% de horas anuais de trabalho e até 2050, esse valor pode duplicar à medida que os efeitos do aquecimento global se agravam, segundo prevê o relatório.
O aumento crescente das horas de descanso vai tornar-se “um problema significativo”, nota ainda Kjellstrom, antecipando que as alterações climáticas vão tornar os dias cada vez mais quentes e criar maiores períodos de calor excessivo.
Os trabalhadores mais mal remunerados, os que efectuam tarefas manuais, agrícolas e fabris, são os que arriscam maior exposição ao calor e, logo, consequências maiores em termos de saúde e de economia.
Kjellstrom desafia assim os países a tomarem medidas imediatas e decisivas contra o aquecimento global.
“O falhanço provocará a frequência e intensidade dos desastres com agravamento considerável para lá de 2050 e a situação no final deste século, será especialmente alarmante para as pessoas mais pobres do mundo”, avisa.

Junho foi o mês mais quente da História moderna

As temperaturas têm subido de forma drástica nos últimos tempos e 2015 foi o ano mais quente de sempre desde que se começaram a registar os dados, no século XIX.
Um ano tão quente que fica também, associado ao pior El Niño de sempre que ainda está a ter reflexos por todo o mundo, nomeadamente no Pólo Norte, que está 30 graus mais quente.
O último mês foi o Junho mais quente na História moderna, marcando o 14º mês consecutivo de recordes de registos de calor, anunciou a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA) dos EUA.
“A temperatura média global sobre superfícies terrestres e oceânicas em Junho de 2016 foi a maior dos meses de Junho no registo de dados de temperatura do NOAA, que remonta a 1880″, disse a agência num comunicado.
“Isto marca o 14º mês consecutivo em que o registo de temperatura global foi quebrado, a maior sequência num registo de 137 anos”, lê-se também no documento.
(Fonte: ZAP / Lusa)

quarta-feira, 18 de maio de 2016

AquaCávado-A Preservação das margens ribeirinhas e o Projecto Rios

O Município de Barcelos irá promover em conjunto com a CIM- Cávado e a Agência de Energia do Cávado, no âmbito do Projecto AquaCávado, um workshop no dia 21 de maio, intitulado " A Preservação das margens ribeirinhas e o Projecto Rios" e "O Cávado e as Invasoras" + Caminhada



Pretende-se abordar a importância da preservação das margens ribeirinhas no sucesso do Projecto Rios e a sua relação directa com a proliferação das invasoras no território da NUT III Cávado. Este workshop terminará com uma caminhada ao longo das margens do rio Cávado, proporcionando a exploração das temáticas abordadas em relação directa com o meio ambiente. 

O Workshop realiza-se no Auditório Municipal e destina-se à População em geral (programa em anexo).

A Participação é gratuita, embora com inscrição obrigatória. Para efectuar a inscrição, os interessados deverão enviar email com nome e contacto telefónico para o seguinte endereço electrónico: gambiente@cm-barcelos.pt.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Dia da Terra - A nossa da casa

Dia Mundial da Terra
A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson que resolveu realizar um protesto contra a poluição da Terra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969.
Inspirado pelos protestos dos jovens norte-americanos que contestavam a guerra, Gaylord Nelson, desenvolveu esforços para conseguir colocar o tema da preservação da Terra na agenda política norte-americana.
A população aderiu em força à manifestação e mais de 20 milhões de americanos manifestaram-se a favor da preservação da terra e do ambiente.

Impacto Ambiental

Investigadores e associações ambientalistas alertam para o perigo e consequências do aquecimento global da Terra, nomeadamente:
  • aumento da temperatura global da Terra;
  • extinção de espécies animais;
  • aumento do nível dos oceanos;
  • escassez de água potável;
  • maior número de catástrofes naturais, como tempestades, secas e ondas de calor.
Vamos cuidar da nossa casa?

terça-feira, 15 de março de 2016

A Hora do Planeta 2016 terá lugar no dia 19 de Março, entre as 20:30 e as 21:30


Hora do Planeta é uma iniciativa global ambiental em parceria com a WWF. Indivíduos, empresas, governos e comunidades são convidados a desligarem as suas luzes durante uma hora no sábado, dia 19 de Março de 2016 às 20:30 para mostrarem o seu apoio à acção ambientalmente sustentável.


A Hora do Planeta em 2015 chegou a 172 países e territórios, a mais de 8000 cidades e vilas. Em Portugal, 118 municípios aderiram e centenas de monumentos emblemáticos nacionais ficaram às escuras, como a Ponte 25 de Abril, o Mosteiro dos Jerónimos, o Cristo Rei, em Lisboa e o Convento de Cristo, em Tomar. Milhares de milhões de pessoas em todo o mundo apoiaram e celebraram a Hora.



Este ano contamos com embaixadores muito especiais da Hora do Planeta em 2016, entre eles: Sara Tavares, Carminho, Nuno Markl, Ana Luísa Barbosa, Ana Galvão, Sandra Cóias, Mário Franco, Diana Bouça-Nova, Sylvie Dias, Beatriz Figueira, Margarida Pinto Correia, Joana Seixas, Nelson e Sérgio Rosado (Anjos) e Luís Represas.



Este ano vários monumentos já prometeram desligar as luzes pela Hora do Planeta



Entre eles encontram-se por exemplo a Ponte 25 de Abril, a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos, o Palácio Nacional da Pena, o Palácio Nacional de Sintra, o Palácio de Monserrate, o Castelo dos Mouros, o Castelo de S. Jorge, o Museu da Eletricidade, as Muralhas de Miranda do Douro, o Castelo de Porto de Mós, o Monumento dos ex-Combatentes do Ultramar de Santa Comba Dão, o Castelo e a Igreja dos Agostinhos em Vila Viçosa, as Muralhas de Serpa, a Ponte de São Roque e a Torre de Menagem em Chaves, a Igreja Matriz do Alvito, e o Mosteiro de S. Dinis em Odivelas, entre muitos outros.